• pamelamr

Flores Comestíveis


As flores comestíveis garantem sabor e muita beleza aos pratos. Muitas pessoas desconhecem seus usos culinários, por isso, a maioria das flores acabam sendo consideradas Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs). Sendo assim, as flores comestíveis são utilizadas não apenas como enfeite em bolos, mas também para dar sabor aos pratos, chás, vinhos, geleias, doces e até mesmo em saladas e sopas


Importância nutricional das flores comestíveis


As antocianinas fazem parte da classe dos flavonoides e são um grande grupo de fitopigmentos solúveis em água que detêm um amplo espectro de cores que variam entre os tons de rosa, vermelho, laranja, roxo e azul. Assim como as antocianinas, os carotenoides também compreendem pigmentos amplamente difundidos na natureza que abrangem as cores do amarelo ao vermelho, entretanto são classificados como fitoquímicos lipossolúveis.


De maneira geral, os compostos bioativos atuam diretamente no corpo como agentes antioxidantes inibindo ou retardando os radicais livres, auxiliando assim na prevenção de doenças crônicas degenerativas não transmissíveis como as cardiovasculares, câncer e doenças cerebrais relacionadas com o envelhecimento. Além da ação antioxidante, estes fitoquímicos apresentam características anti-inflamatórias, antiobesidade, hipoglicemiantes e propriedades protetoras do sistema neurológico, hepático e gastrointestinal.


Os compostos bioativos presentes nas flores apresentam teores bastante variáveis em função de cada espécie, clima e região onde estão localizadas. Os flavonoides mais encontrados em flores comestíveis são a quercetina, kaempferol, miricetina, rutina, apigenina, luteolina, catequina e epicatequina. As antocianinas mais relatadas são cianidina, delfinidina e pelargonidina glicosiladas.


Dentre as flores comestíveis mais empregadas como ingredientes alimentícios em todo o mundo, inclusive na culinária brasileira são: alcachofra (Cynara scolymus L.), brócolis (Brassica oleracea L. var. itálica Plenck) e couve-flor (Brassica oleracea L. var. botrytis L.). Outras flores como o amor-perfeito (Viola tricolor L.), a calêndula (Calêndula officinalis L.), a capuchinha (Tropaeolum majus L.), a vinagreira (Hibiscus sabdariffa), ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata), ipê-amarelo (Tabebuia serratifolia) e ipê-roxo (Handroanthus impetiginosus), que, apesar de pouco conhecidas, são aproveitadas principalmente para fins decorativos, devido a sua beleza e coloração atrativa, deixando assim de aproveitar a sua capacidade nutritiva.



A busca pelas flores comestíveis


Existem flores que já fazem parte da nossa dieta, no entanto essas não possuem as características que associamos à palavra flor, São elas: brócolis, alcachofra e couve-flor, por exemplo. Essas já estão presentes na nossa culinária de maneira corriqueira.


Flores comestíveis diferenciadas, por sua vez, já são utilizadas por chefs de cozinha da alta gastronomia há algum tempo. Recentemente, com a valorização dos alimentos naturais, elas receberam mais atenção e estão sendo incorporadas na nossa alimentação diária.


Dessa maneira, as flores comestíveis se apresentam de diversos tamanhos, aromas e sabores, variando de acordo com a forma que são cultivadas e a região. Elas são encontradas nas ervas medicinais e aromáticas como alecrim, cebolinha e manjericão; em espécies arbóreas como ipê-amarelo, frutíferas como a laranjeira e plantas ornamentais como o amor-perfeito e rosas.



Como escolher essas flores


Se você se interessou e quer começar a usar flores comestíveis na cozinha, fique atento. Antes de consumir qualquer flor são necessários alguns cuidados.


· Conheça a espécie que vai para a mesa: antes de qualquer coisa, é necessário saber se a espécie que você tem em mãos é, de fato, comestível. Algumas flores podem ser tóxicas e causar danos a quem as consome.


· Busque por produtores que cultivam flores para alimentação e não em qualquer floricultura.


· Se você for alérgico, atenção redobrada: o pólen presente nas flores comestíveis pode desencadear reações fortes.


· Antes de consumir, lave em água corrente.



Exemplos de flores comestíveis para incluir na sua alimentação


As flores comestíveis devem ser colhidas, após sua abertura e por inteiro, ou seja, com pedicelo, receptáculo, sépalas e pétalas. Para conservá-la o ideal é mantê-las em baixa temperatura, entre 1 °C a 5 °C por até 10 dias.


Importante ressaltar que o armazenamento das flores vai variar de acordo com a espécie, há trabalhos que apontam o amor perfeito em condições de consumo por até 15 dias armazenados em geladeira (5-10°C). Embalagens com mais de uma espécie, tendem a ter um menor tempo de prateleira, pois cada planta possui uma característica de taxa respiratória. Importante ressaltar que nesses estudos, não há registro de sanitização e higienização.

Separamos 5 flores que você pode incluir na sua alimentação:


· Rosas

Ricas em vitaminas, as rosas servem para fazer infusões, conservas, adicionar um toque especial em pratos de carnes, sobremesas, pratos frios (entradas), cremes, mousses, combinada com sucos de frutas como limonadas e sucos de laranja.


· Begônia

Possuem um sabor mais cítrico e uma acidez mais marcada e vão super bem com saladas ou pratos a base de peixe. Podem ser usadas cruas ou cozidas!


· Calêndula

Combina com saladas, para decorar bolos e sobremesas ou como corante (caldos, queijos amarelos e manteigas), substituta do açafrão na hora de cozinhar o arroz (na verdade falsifica o açafrão).


· Lavanda

A lavanda possui um aroma calmante, com toque cítrico e picante. Serve para fazer infusões, geleias, sobremesas geladas, vinagres, vinhos, biscoitos, xaropes, bolos, cheesecakes. Para usá-las nas suas receitas basta passá-las no processador e misturá-las com os cremes doces para dar a eles um aspecto azul claro e um toque picante.


· Violeta

Vai bem com saladas, cristalizada em decoração de bolos, pudins e sorvetes e em geleias!

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo